A Costureirinha | Newsletter Cartinha de Costura

Olá, meu bem! Tive que me ausentar da internet por alguns meses, mas aos poucos estou retornando! Já postei algumas coisas no Instagram, logo mais tem vídeo no YouTube, mas estou cada vez mais com vontade de conversar contigo assim, sem as propagandas e notificações das redes sociais. Gosto bastante desse tipo de comunicação escrita, mais intimista, tipo “carta” que só o e-mail ou o blog proporcionam.

Costurar é coisa de “mulher prendada”?

Se você ainda não me conhece (ou nem se lembre mais 😬), eu me chamo Elisa, sou fundadora d’A Costureirinha e dou aulas de costura desde 2014. De lá pra cá, já se foram 7 anos (uhull! 🥳) de tutoriais, aulas e cursos presenciais, virtuais, participação em programas de tv, internet, jornais e revistas.

Quando inaugurei minha escola de costura, meu sonho era descomplicar as técnicas tradicionais e trazer um frescor para os projetos, com modernidade e peças práticas, que dessem vontade de usar. Havia pouco conteúdo em português sobre o assunto na internet, e as minhas primeiras turmas tinham muitas alunas da melhor idade. Comigo, elas buscavam reaprender a costurar, só que de um jeito mais leve.

Veja bem! Antigamente — coisa de 2 gerações atrás — costurar era um pré-requisito para que a “moça” pudesse se tornar uma “mulher prendada” e, assim, “tivesse um bom casamento”. Socorro! Nesse tempo, algumas escolas incluíam Corte&Costura no currículo ou os pais matriculavam suas filhas em cursos livres, pois uma mulher “tinha que saber costurar”. As aulas eram sempre rígidas, com uma disciplina que impedia a livre criação e obrigava a perfeição. Fazia-se apenas roupas para si, para os filhos, para o marido… no máximo alguns itens para o lar. E só.

“Costurar é um superpoder!”

Em 2017, eu dava essa entrevista à Revista Sesc, onde eu dizia a frase acima, que agora é tão conhecida e repetida. Eu ainda acredito muito nisso: costurar traz uma realização, um orgulho e a possibilidade de materializar ideias.

De lá pra cá, muitos preconceitos caíram e eu tive a sorte de presenciar o exato momento em que costurar tornou-se um hobby super aceito e descolado! Ganhamos até um “nome” que nos diferencia da Alfaiataria, da Tapeçaria, da Modelagem, do Corte&Costura e do mundo da Moda em geral: Costura Criativa. Eu fico muito orgulhosa desse movimento, e reconheço que o mesmo aconteceu em todas as outras atividades manuais.

Você também acha curioso que, quanto mais nossas vidas foram dominadas por telas (celular, tablet, computador & afins), valorizamos ainda mais as atividades artesanais e criativas? Apesar dos tempos cinzentos e das catástrofes que vivenciamos como humanidade, neste aspecto sinto que estamos evoluindo pelo menos um pouquinho. Ufa!

Quero trazer de volta a leveza e liberdade que é saber costurar por prazer e por diversão para os novos vídeos!

O que vem por aí!

Eu quero voltar a postar vídeos no YouTube, só que de uma forma mais prática, mostrando que dá pra colocar um pouco de costura em sua rotina! Quero trazer de volta a leveza e liberdade que é saber costurar por prazer e por diversão para os novos vídeos!

Além disso, quero conversar mais com você assim, por e-mail ou no Blog. Já deu pra ver que eu amo escrever (jura, Elisa?!), e eu quero utilizar este espaço para trocar ideias, divulgar novidades, cursos e dicas de Costura Criativa!

Inscreva-se aqui em minha newsletter para receber minhas Cartinhas de Costura!

Um beijo e até logo,

Elisa D.